Ator Darlan Cunha relata ter sofrido abuso em abordagem policial

O ator Darlan Cunha, conhecido nacionalmente por ter interpretado o Laranjinha no filme Cidade dos Homens, utilizou seu Instagram nesta noite de segunda (22) para relatar uma abordagem racista feita pela Polícia Militar no bairro Vila Progresso, São Paulo.

Na publicação, o ator afirma ter sido parado de forma agressiva, sofrendo até ameaça de morte. “Hoje fui abordado por policiais extremamente despreparados, me agrediram e me ameaçaram a todo momento me mandando olhar pro chão colocar a mão na cabeça e abrir as pernas e me empurrando no carro me mandando calar a boca mesmo” disse Darlan.

Darlan afirma que os policias nem ao menos pediram seus documentos para averiguação e que mesmo assim ainda ameaçavam dar tapas na cara do ator negro, caso ele não parasse de falar. “Graças a Deus tive bons argumentos e mostrei pra ele os erros que ele estava cometendo.” diz, afirmando posteriormente não ter se identificado como ator em nenhum momento.

O fato aconteceu em frente ao posto de gasolina Rede G3. O ator contou que no final da abordagem o policial ainda o ameaçou de morte. “Ele disse que se eu tivesse parado mais pra frente ele me mataria, tenho certeza que ele não fez coisas piores justamente por eu ter parado no posto e tinham várias pessoas como testemunha.” completa.

Casos de racismo infelizmente vem acontecendo com certa frequência no Brasil, tanto publicamente através da internet, como o recente caso da atriz Taís Araújo ou da jornalista Maju, quanto fora dos holofotes através de civis e autoridades, onde, além de abusos verbais (que são bastante comuns), abusos físicos não são raros de se ver. Fato comprovado pela ONG Anistia Internacional, que afirma que 77% dos jovens mortos por homicídio em terras tupiniquins são negros — ou seja, racismo mata!

Já no final do relato, o artista desabafou: “Policial racista bandido fardado de carteira assinada, que esse país ridículo da o poder de tirar nossas vidas. Esse verme com uma arma se acha no direito de fazer o que quiser com quem quiser”

[su_spoiler title=”Publicação na íntegra:” style=”simple” open=”yes” icon=”plus-circle”]

Sou ator 27 anos e hoje fui abordado por policiais extremamente despreparados, me agrediram e me ameaçaram a todo momento me mandando olhar pro chão colocar a mão na cabeça e abrir as pernas e me empurrando no carro me mandando calar a boca mesmo depois de terem me revistado e verem que não estava armado e nem resisti a prisão. Não revistaram o carro, não pediram meus documentos, ameaçava me dar um tapa na tapa na cara na frente de todo mundo no posto se eu não parasse de falar. Graças a Deus tive bons argumentos e mostrei pra ele os erros que ele estava cometendo. Não me identifiquei nenhum momento como ator. E sorte minha ter parado em frente esse posto de gasolina Rede S3. No final da abordagem ele disse que se eu tivesse parado mais pra frente ele me mataria, tenho certeza que ele não fez coisas piores justamente por eu ter parado no posto e tinham várias pessoas como testemunha. Policial racista bandido fardado de carteira assinada, que esse país ridículo da o poder de tirar nossas vidas. Esse verme com uma arma se acha no direito de fazer o que quiser com quem quiser, se achar homem armado é mole quero ver ser homem e brigar na mão comigo.

Uma foto publicada por @darlancunha em


[/su_spoiler]

 

Comentários estão fechados.